Arquivos mensais

setembro 2019

Casa de Andar na Portas Vilaseca Galeria

A Portas Vilaseca Galeria, inaugura, na noite de 12 de setembro, a individual “Casa de Andar”, de Mano Penalva. A mostra reúne trabalhos inéditos, produzidos entre 2018 e 2019, a partir de um olhar sobre um lugar entre a Casa e a Rua. Materiais e objetos do cotidiano são arranjados, estruturados ou encostados a partir de pequenos deslocamentos; palhinhas, paninhos, muxarabis, pratos e xícaras são reorganizados como fragmentos de uma composição precisa, uma espécie de “quebra da normalidade” dos objetos

Religião, poder e violência na nova individual de André Griffo

André Griffo inaugura, no dia 12 de setembro, a individual “A quem devo pagar minha indulgência?”, na Galeria Athena. A exposição reúne 11 pinturas inéditas, resultado da pesquisa do artista que relaciona questões sociais à História da Arte e da Arquitetura. Religião, poder e violência são alguns dos temas centrais dos trabalhos. As pinturas selecionadas apontam o interesse do artista pela apropriação de espaços que, embora não se revelem identificáveis num primeiro olhar, são criados e impregnados com elementos contemporâneos.

“Minha terra tem palmeiras” reúne 15 artistas na Caixa Cultural

O artista Bruno Miguel assina a curadoria da coletiva “Minha terra tem palmeiras”, em cartaz na CAIXA Cultural do Rio de Janeiro até o dia 20 de outubro. A mostra reúne 50 obras de 15 artistas contemporâneos brasileiros para discutir a formação da memória cultural do país. A exposição parte do poema Canção do exílio, ícone do primeiro momento do romantismo brasileiro, escrito por Gonçalves Dias em 1857. Trafegando por diferentes mídias, como pintura, fotografia, gravura, escultura, instalação, objeto e

Obras inéditas de Luiz Áquila no MNBA

O público carioca vai poder visitar a produção mais recente do pintor Luiz Áquila (Rio de Janeiro, 1943) até o dia 1º de dezembro, no Museu Nacional de Belas Artes. A exposição reúne cerca de 30 pinturas produzidas na última década, com a marca do artista de cores e contrastes, através de planos e pinceladas expressivas. “Luiz Aquila pertence a uma geração de artistas com sólida e erudita formação. Disciplinado e meticuloso, desenvolve na intimidade de seu ateliê as suas

Quem sobe essa escada?

Os artistas Ana Klaus, Carlos Contente e Rafael Adorján participam da primeira exposição na Casa da Escada Colorida, espaço cultural recém-inaugurado na Lapa com área de exposições, residência artística, oficinas, workshops e café. Convidados pelas curadoras Rachel Balassiano e Camila Pinho, eles expõem narrativas de suas visões sobre as personagens que passam pelo local e que dialogam com a Casa e seus espaços. Contente discute em texto, desenho, pintura e objetos, a situação de um Rio de Janeiro caótico, artística

Cadu, ratoeiras e o Concorde

Nesta quarta-feira (/04/09), a galeria Anita Schwartz inaugura a exposição “Fábrica de Ratoeiras Concorde”, de Cadu. No grande espaço do piso térreo estarão as obras da série de pinturas sobre papel que dão título às mostra e as interativas “Chinese Whispers” e “Pantógrafo”. Partindo de dois conceitos distintos, uma ratoeira e o avião Concorde, o artista constrói uma imagem poética. “Uma forma pedestre, um objeto rudimentar de caça para controle de pragas, e a outra uma aeronave, uma desobediência aos

Agenda da semana: arte de 2 a 9 de setembro

Acompanhe os eventos de arte visuais do Rio de Janeiro na agenda semanal do Posto 8. Palestra “Se flores tivesse, pernas”, com Eduardo Navarro Terça (03/09), às 19h, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (Rua Jardim Botânico, 414) Eduardo Navarro atribui à arte a capacidade de produzir novas possibilidades de percepção sobre o mundo que nos rodeia. Em sua obra, confronta uma diversidade de entidades, estudando-as a partir da experiência sensível. Abertura de “A chave de casa”, individual