Exibindo tag

arte

Futebol arte no Espaço Zagut

O futebol, tão presente no cotidiano e na cultura dos brasileiros, ganhou uma exposição comemorativa no Espaço Zagut, galeria de arte inaugurada no ano passado no Cassino Atlântico, em Copacabana. A coletiva temática “Futebol Urgente” reúne 14 artistas que tem o esporte inglês tema e como parte de suas obras. Participam da mostra os artistas: Augusto Herkenhoff, Clarisse Tarran, Deneir Martins, Edmilson Nunes, Fernando Mendonça, Jorge Duarte, Juarez Penna, Marcos Cardoso, Oswaldo Carvalho, Raimundo Rodrigues, ,Ricardo Newton, Robinson de Oliveira,

Agenda da semana: arte de 17 a 23 de junho

Acompanhe os eventos de arte visuais do Rio de Janeiro na agenda semanal do Posto 8. Abertura da coletiva Colapso Terça (18/06) às 19h, na Galeria Athena (Rua Estácio Coimbra, 50 – Botafogo) Com curadoria do artista Rodrigo Bivar, a mostra reúne obras de com obras de Leda Catunda, Cabelo, Rodrigo Andrade, Ana Prata, Bruno Dunley, Débora Bolsoni, Paulo Whitaker e Rafael Alonso. A exposição propõe uma reflexão a partir da pintura e desenho, que traz quatro artistas da geração

Exposição reinterpreta a primeira carta sobre o Brasil

A “Carta de Pero Vaz de Caminha” ou “Carta a el-Rei Dom Manoel sobre o achamento do Brasil” é mais do que o marco literário de ter sido o primeiro documento escrito no país. É uma prestação de contas sobre investimentos em navegação. Ou ainda uma visão poética do paraíso tropical que acabara de ser “encontrado”. Redigido em 1.º de maio de 1500, em Porto Seguro, é a inspiração de “O Melhor Fruto”, individual de Talita Tunala no Centro Cultural

Águas de Oxum e Alexandre Mazza

De longe percebemos o chão vibrar com sua dança. De longe ouvimos o som de seu cantar. De longe vislumbramos o brilho de sua existência. De longe sentimos o perfume de seu corpo úmido. Com formação musical e 18 anos como baixista, Alexandre Mazza trabalha há onze anos com arte em uma pesquisa de “multiplicação da luz” com materiais como espelhos, vidros, metais, lâmpadas, acrílicos e madeira. A continuidade desta pesquisa pode ser vista na individual “Somos sua luz”, que

Poesias atemporáis de Murilo Salles

Murilo Salles é um patrimônio da cultura brasileira. Nas artes, o cineasta fez a câmera de “Ão”, videoarte seminal de Tunga, em que o artista se propõe a construir um toro imaginário no interior do túnel Dois Irmãos. O trabalho segue uma trajetória contínua claustrofóbica, sem encontrar entrada ou saída na seção circular entre São Conrado e a Gávea. Além de dirigir filmes como “Nunca Fomos Tão Felizes” (1984), “Faca de Dois Gumes” (1989) e “Como Nascem os Anjos” (1996),

Agenda da semana: arte de 27 de maio a 2 de junho

Quer ficar por dentro dos eventos de arte no Rio de Janeiro? Acompanhe a seleção do Posto 8 (pode mandar também sugestões para nosso e-mail). Sempre aos domingos – ou se mais tardar na segunda. A gente se encontra por aí! Palestra com Eduardo Berliner Segunda (27/05) às 19h30 no Parque Lage (Rua Jardim Botânico, 414) Primeira de uma série de quatro encontros como parte do workshop semestral O Processo Criativo, do professor Charles Watson. Para participar, é preciso se

Do Fotorrealismo à Realidade Virtual

A semana aqui no Posto 8 começou com uma visita guiada no Centro Cultural Banco do Brasil na exposição “50 Anos de Realismo – Do Fotorrealismo à Realidade Virtual” que abre hoje (22/05) para o público. Segundo a curadora Tereza de Arruda, brasileira radicada há 30 anos em Berlim, a mostra tem o intuito de investigar essa dualidade entre a arte e a realidade. “Nosso recorte foi assim definido porque no final da década de 60 tem início o fotorrealismo

Arte que pulsa através de robótica e inteligência artificial

Nas principais séries de pinturas da artista visual Katia Willie, o movimento é um dos componentes mais presentes, mesmo em pinturas estáticas. Nadadoras saltam e voam no espaço, músculos se contorcem em leveza e força. Em sua individual “Das tripas coração”, que vai até o final de maio na Galeria do Lago, no Museu da República, as obras literalmente passam a se mexer, criando diferentes formas de diálogo e de materialidade no espaço. “No começo de 2018, eu comecei a